Projetos emergenciais de combate à Covid-19

3 de abril de 2020 - 09:44

A Funcap criou uma linha preferencial de apoio a projetos emergenciais de combate à pandemia causada pelo coronavírus. O objetivo da iniciativa é prover um processo ágil e desburocratizado de tramitação de propostas que permita a contribuição em tempo real para o combate às doenças causadas pelo vírus através de iniciativas da comunidade de ciência e inovação do Ceará.

Além de fomentar os projetos com recursos, a Funcap auxilia no trabalho de articulação e arregimentação de pesquisadores e empresas, para promover o trabalho colaborativo dos atores envolvidos em projetos que apresentem resultados concretos no curto espaço de tempo que a circunstância requer. Os projetos devem ser de caráter emergencial, com pesquisa aplicada ao atendimento de demandas específicas que sejam relacionadas ao combate à pandemia ou à mitigação de seus danos.

Para garantir essas características, todos os projetos a serem atendidos por essa linha serão submetidos à Funcap por meio da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa) e deverão receber, obrigatoriamente, o aval do Cientista Chefe da área de saúde.

Dentre os esforços já aprovados pela Câmara de Inovação Pública da Funcap estão os seguintes:

– Fabricação de máscaras (30 mil unidades de “face shields” – protetores faciais -, 30 mil máscaras de TNT – um polímero chamado “Tecido Não Tecido”) e 3 mil aventais de TNT) em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e o Senai;

– Manutenção e produção de peças de reposição para ventiladores pulmonares por meio do Centro de Recebimento e Manutenção de Ventiladores Mecânicos, em parceria com a Fiec, o Senai, a Universidade Federal do Ceará (UFC), a Sesa e a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP)

– Treinamento digital online em ventilação mecânica no enfrentamento à Covid-19 no Ceará, em parceria com a Sesa.

As propostas práticas de produção de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) e de recuperação de ventiladores mecânicos constituíram uma prioridade inicial, mas a ação governamental da Funcap com pesquisadores e órgãos de saúde já se movimenta na direção de buscar conhecer melhor o número e a distribuição espacial de pessoas infectadas. Há o entendimento de que quanto maior for o número de testes feitos na população, melhor serão compreendidos os efeitos e a disseminação do coronavírus.

A Funcap ressalta que seguirá firme no esforço de mobilização e fomento a projetos que possam ajudar no combate à pandemia. Nesta iniciativa, ela atua de forma coordenada com diversos parceiros que têm demonstrado elevada capacidade de resposta. Além dos já mencionados (Fiec, Senai, Sesa, ESP e UFC), estão envolvidos no trabalho, até aqui, os seguintes órgãos e entidades:

– CriarCE Fablab & Incubaworking, vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior (SECITECE);
– Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova);
– Grupo de Tecnologia Assistiva da UFC;
– Instituto Atlântico;
– Instituto Desenvolvimento, Estratégia e Conhecimento (IDESCO);
– Movimento Respira Brasil (MRB);
– Universidade Estadual do Ceará (UECE).