Secretarias e Órgãos

Acesso Rápido

Do que você precisa?
Telefones úteis

Redes Sociais

Página Inicial
Empresa desenvolve estação móvel de tratamento para água do semiárido PDF Imprimir E-mail
Qui, 22 de Dezembro de 2016 14:19

Com predominância de rochas cristalinas, o solo da região Nordeste tem como uma das características o alto nível de sais em sua composição. Isso faz com que em grande parte do semiárido as águas subterrâneas tenham características salobras, dificultando seu aproveitamento para consumo humano. Combinada com a irregularidade das chuvas, essa realidade traz como consequência uma grande escassez do recurso natural para a população.

Pensando em uma alternativa para esse problema, pesquisadores da empresa Tecnoplus desenvolveram uma Estação de Tratamento de Água (ETA) com três características básicas: mobilidade, robustez e sustentabilidade. A proposta veio através do projeto “Estação de Tratamento de Água Móvel e Compacta Visando Ampliar a Oferta de Água Potável nas Regiões Semiáridas”, que contou com o apoio da Funcap através do edital Inovafit.

Conduzido por uma equipe de doutores e pós-doutores na área de Saneamento, o trabalho é direcionado especificamente para o tratamento da água salobra do semiárido. Isso fez com que as etapas da estação (Pré-oxidação/coagulação, por exemplo) fossem definidos considerando características físico-químicas e microbiológicas de águas provenientes do bioma da Caatinga

De acordo com o engenheiro Eliezer Abdala, um dos responsáveis pelo projeto, outro diferencial que merece destaque na ETA móvel produzida pela Tecnoplus é a disposição das tecnologias associadas para o tratamento da água (veja todas as etapas abaixo). Na fase de redução da carga orgânica, por exemplo, a solução mais convencional adotada no mercado é o uso do cloro. “Nós optamos pelo uso de oxidantes derivados da ruptura da molécula da água, obtidos através de eletrólise por corrente pulsada. Desta forma, amplia-se o poder de inativação de patógenos e a redução da carga orgânica sem a geração de subprodutos da cloração, explica.

A tecnologia utilizada na pré-oxidação tem como base a geração de um campo elétrico proveniente de uma corrente contínua que simula a vibração da molécula de água e, com isso, consegue separar seus componentes. Segundo os pesquisadores, além de dispensar aditivos químicos na geração de oxidantes, o processo também tem mais eficiência na remoção de sólidos em suspensão e menor consumo de energia, em relação à eletrólise convencional. “E foi desenvolvido pelos nossos pesquisadores, o que garante manutenção e operação com recursos locais”, ressalta Eliezer.

Como o foco é facilitar o processo de obtenção de água nas difíceis condições do semiárido nordestino, a ETA móvel foi projetada para ser facilmente transportada, como um reboque. Tem  2,20 m de largura, 1,20 m de altura e 2,5 m de comprimento e capacidade para tornar potáveis até mil litros por hora. Eliezer informa que um dos aprimoramentos já em estudo é adaptar placas solares, para que a ETA possa funcionar em qualquer lugar do sertão - que também sofre com a escassez de eletricidade em muitas regiões.

Devido à necessidade de componentes adaptados para a purificação da água salobra nordestina, a ETA móvel desenvolvida pela Tecnoplus tem um custo entre 20% e 30% superior ao de um equipamento com a mesma vão do mercado. “Mas exatamente pelo fato de ser destinada a essa água, as membranas e os filtros duram mais, o que resulta em gastos menores durante o uso, explica Eliezer.

A expectativa da empresa é obter parcerias para viabilizar a comercialização da ETA móvel no mercado nordestino ainda em 2017. O potencial é grande: de acordo com a Associação Brasileira de Águas Subterrâneas (Abas), estima-se que no Nordeste existam mais de 30 mil poços de água salobra com vazão superior a 2 mil litros/hora.

Fases do processo de purificação da água do projeto

- Redução da carga orgânica através de três etapas: eletro-oxidação, coagulação e flotação 

- Pré-filtração através de um filtro de leito granular 

-  Filtração, também com filtro com granulometria de leito diferenciada

- Adsorção com carbono ativado

- Abrandador, para retirada de cálcio e magnésio

- Pré-desinfecção com gás ozônio

- Microfiltração 

- Dessalinização por osmose reversa 

- Desinfecção (micro dosagem de cloro)

 

Calendário

Novembro 2017
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2